UFOP

Universidade Federal de Ouro Preto

Escola de Medicina

Laboratório Multiusuário de Práticas Simuladas

PRÁTICAS SIMULADAS PARA OTOSCOPIA

ORELHA INTERNA

A orelha interna consiste em uma série de cavidades ósseas (o labirinto ósseo) e ductos e sacos membranáceos (o labirinto membranáceo). Essas estruturas estão na parte petrosa do osso temporal e é delimitada pela orelha média, lateralmente, e pelo meato acústico interno, medialmente (DRAKE, VOGL e MITCHELL, 2021).

O labirinto membranáceo contém endolinfa, responsável pela estimulação do órgão de equilíbrio. Esse labirinto está suspenso no labirinto ósseo cheio de perilinfa, responsável pela estimulação do órgão da audição. Logo, o órgão vestibulococlear, relacionado com a recepção do som e a manutenção do equilíbrio, está contido na orelha interna (MOORE, DALLEY e AGUR, 2022).

O labirinto ósseo é composto por uma série de cavidades contidas na cápsula ótica da parte petrosa do osso temporal. Essas cavidades são: Vestíbulo, cóclea e canais semicirculares (STANDRING, 2010).

O labirinto membranáceo é formado por uma série de sacos e ductos comunicantes que estão suspensos no labirinto ósseo. É constituído de duas divisões funcionais, o labirinto vestibular e o labirinto coclear. O labirinto vestibular está relacionado ao equilíbrio, é composto por dois pequenos sacos, utrículo e sáculo, interligados pelo ducto utriculossacular. Além disso, possui três ductos semicirculares e um ducto endolinfático, terminando no saco endolinfático. O labirinto coclear, relacionado com a audição, é constituído pelo ducto coclear. As duas divisões do labirinto membranáceo são conectadas pelo ducto de união (MOORE, DALLEY e AGUR, 2022).

CONTATO: 3559-1059 | LaMPS@ufop.edu.br

Solutions

Solutions

Soluções para suas ideias

D-Otoscopy v1.0

Copyright © 2022 Universidade Federal de Ouro Preto

Um projeto aberto desenvolvido por: