UFOP

Universidade Federal de Ouro Preto

Escola de Medicina

Laboratório Multiusuário de Práticas Simuladas

PRÁTICAS SIMULADAS PARA OTOSCOPIA

ORELHA MÉDIA

A orelha média é um espaço irregular, cheio de ar, revestido por mucosa no osso temporal, entre a membrana timpânica e a parede lateral da orelha interna. É dividida em duas partes: a cavidade timpânica, o espaço adjacente à membrana timpânica, e o recesso epitimpânico, o espaço superior à membrana.

É uma estrutura limitada por um teto e por um assoalho e pelas paredes anterior, posterior, medial e lateral. A orelha média contém três pequenos ossos, o martelo, a bigorna e o estribo, chamados coletivamente de ossículos da audição, formando uma cadeia articulada que conecta as paredes lateral e medial da cavidade, e que transmite as vibrações da membrana timpânica através da cavidade para a cóclea (estrutura da orelha interna). A cavidade timpânica está unida na parede anteromedial à parte nasal da faringe pela tuba auditiva e na parte posterossuperior às células mastoideas através do antro mastoideo (MOORE, DALLEY e AGUR, 2022; DRAKE, VOGL e MITCHELL, 2021; STANDRING, 2010).

A membrana timpânica é uma estrutura que separa a cavidade timpânica do meato acústico externo. Ela é fina, semitransparente e oval. Possui em seu maior diâmetro, anteroinferior, de 9 a 10 mm, enquanto o diâmetro menor tem 8 a 9 mm (STANDRING, 2010). A membrana timpânica é revestida externamente por uma fina camada de pele e internamente pela túnica mucosa da orelha média (MOORE, DALLEY e AGUR, 2022).

A membrana timpânica é circundada por um anel fibrocartilaginoso (annulus timpânico), que está fixado ao sulco timpânico do osso temporal. O sulco é inexistente na parte superior, sendo entalhado no osso. Duas pregas maleolares, anterior e posterior, passam das extremidades desse entalhe para o processo lateral do martelo (STANDRING, 2010). Acima deste processo lateral do martelo, é possível observar uma região triangular fina e frouxa, denominada parte flácida.

A parte principal da membrana timpânica é a parte tensa, que possui fibras radiais e circulares (STANDRING, 2010; MOORE, DALLEY e AGUR, 2022). A superfície interna da membrana timpânica está fixada ao cabo do martelo até o seu centro, o qual tem projeção para a cavidade timpânica. Dessa forma, a superfície interna é convexa e o ponto de maior convexidade, que é também o ponto de fixação da membrana ao martelo, é denominado umbigo do martelo ou proeminência malear (STANDRING, 2010; DRAKE, VOGL e MITCHELL, 2021).

Anteroinferiormente à proeminência malear, geralmente é visível um reflexo brilhante de luz, denominado cone de luz, quando se examina a membrana timpânica com um otoscópio (DRAKE, VOGL e MITCHELL, 2021).

CONTATO: 3559-1059 | LaMPS@ufop.edu.br

Solutions

Solutions

Soluções para suas ideias

D-Otoscopy v1.0

Copyright © 2022 Universidade Federal de Ouro Preto

Um projeto aberto desenvolvido por: